quinta-feira, 29 de abril de 2010

historieta salobra

onde a brisa é fresca e acalma, existe
uma árvore boa na beira do mar,
mas ali não dá pé.
a fruta doce da árvore boa
cai na água e mergulha
até o fundo.
cria tufo e limo.


Ana Claudia Abrantes
29 de abril de 2010

(Crianças pediram-me uma história feliz e maior, mas essa é desencantada e curta.)

2 comentários:

Sedentário disse...

Como é dificil no seculo XXI encontrar uma escritora que canta a poesia sem a melosidade do tempo presente, poesia tem que ser a ritmo de JOAO CABRAL DE MELO NETO a sua com certeza tem o reflexo do mestre de SEVERINA. Abraços!!

Ana Claudia disse...

Eu?