terça-feira, 23 de novembro de 2010

Pretensão

Sentou à janela tendo chegado agora. Botou o pé no encosto da cadeira. A mão no queixo, o olhar atento, caderno aberto. Ouviu os dois minutos finais e palpitou. Tudo o que tinha a dizer era o mesmo, sobre o qual já se havia falado, mas sua voz é sonora. Ele pensa que é destoante a sua voz e que é mais alta. Ela só é sonora. O galã revoltado com a fofice do mundo, ele mesmo um fofo.


Ana Claudia Abrantes

6 comentários:

Mimo Chic disse...

Querida Ana, como brinca com as palavras bem...
muito lindo.
bjs com carinho
Lulu & Sol

Yan disse...

Simples e lindo, como sempre aliás. Adoro seus textos, nem sempre consigo agradecer pelos sorrisos e viajens que eles me proporcionam em comentarios, mas sempre os leio. Parabéns Ana e beijos.

Non je ne regrette rien: Ediney Santana disse...

e assim por vezes pedemos coisas boas

Fernand's disse...

fofos às vezes encantam-me. só às vezes. rsrs


bjs meus

Vanessa Souza Moraes disse...

O mundo é destoante.

Pia Fraus disse...

nesse caso, a voz é o começo do silêncio...