terça-feira, 26 de maio de 2009

rascunho

tento me sublinhar, mas vivo me rasurando.


Ana Claudia Abrantes

9 comentários:

Moises disse...

caraca professora
adorei!!!
posso colokar no meu msn??!!
eu achei demais
vo imprimir e fikar lendo a tarde inteira!!!

Moises disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ana Claudia disse...

Está aí. Você me deu uma ideia. Pode usar e diz que é meu. Mas vai competir com o meu perfil do orkut, bonitinho.
Beijo

Rafael Vaz disse...

Eu pensei tanta coisa lendo isso. Mas tanta. Nossa.

Nilson Barcelli disse...

Eu teria escrito:

"tento me sublinhar e, para isso, vivo me rasurando"

Porque nos devemos rasurar sempre... isto é, temos de mudar o nosso comportamento, as nossas atitudes, a nossa maneira de pensar, etc., para sermos pessoas melhores.
A mudança, para melhor, deve ser permanente.

Talvez eu tenha distorcido o sentido do seu pensamento, mas foi como eu o interpretei.
Mas percebi o sentido negativo do seu "rasurando"... só que eu alterei-o...

Querida amiga, um beijo.

Ana Claudia disse...

Oi, Rafael! Eu gosto dos "brevíssimos" porque, em príncipio, eles podem dar essa liberdade do "tanta coisa". Mas só quando são bons. Acontece, entretanto, que o que é não é bom para uns pode ser bom para outros e é bom que seja assim. "Tanta coisa" é tão pronome indefinido... Que bom.
Um beijo pra você!

Ana Claudia disse...

Nilson, querido,
Sim, concordo quase plenamente com suas ideias sobre vivermos nos rasurando. Mas acho que o rasurar pode ser um declínio meio "gauche". Eu gosto do "gauche" porque é assim que somos. Eu espero/esperava que meu "gauche" fosse simples aceitáção. Um pouquinho melancólica, talvez, mas aceitação.
Um beijinho

Roberta Saavedra disse...

fantástico! breve, porém mui significativo.

Ana Claudia disse...

Robertaaaa!