quinta-feira, 17 de setembro de 2009

Saudade

Eu confesso que sinto falta de Deus. Confesso que já me achei uma tola pelo tamanho da fé que tive comigo um dia. Confesso que minha fé começava em Deus e se estendia a todas as pessoas ao meu redor e talvez até a mim mesma. Confesso que depois de uma oração eu me sentia renovada e era capaz de quase tudo de bom. Confesso que às vezes eu sinto saudade de "mim um dia".
Mas confesso que, hoje, acontece uma estranha tranquilidade dentro de mim, quando alguém me dá a mão e rezamos um simples Pai Nosso. Aí eu lembro da mocinha que orava com os amigos e acreditava sinceramente que "onde estiverem dois ou mais reunidos em Meu nome, Eu estarei" (algo mais ou menos assim). Entretanto penso que a lógica é que Deus esteja onde houver um ou onde houver todos, mas entendo sinceramente o que aquele velho trecho da Bíblia queria dizer... Só não sei se argumentos lógicos têm algo a ver com Deus. Talvez tenham deveras. O que é estranho é que quanto mais pragmática eu fui ficando, mais um sentimento de espiritualidade foi perdendo a vez.
Confesso que, apesar de tudo isso, há algumas pessoas por quem eu oro com certa frequência, (embora bem mais rápido do que eu gostaria), há alguns dias em que eu sinto necessidade de agradecer a Deus sem exatamente saber o quê, há algumas vezes em que eu O imploro sem palavras. Confesso que quando não consigo orar, quando não me sinto cheia da graça de Deus, fico com o coração entregue se alguém diz: "Estou orando por você e pelos seus". E se eu sinto que é verdade.


Ana Claudia Abrantes

4 comentários:

maria disse...

a fé não tem necessariamente a ver com DEUS
e DEUS não tem necessariamente a ver com o "senhor-todo-pooderoso-que-está-no-céu"
a fé é necessária (talvez indispensável) para viver

Ana Claudia disse...

Maria,
Para mim não importa o nome nem o alvo da fé. Há nomes tão diferentes para essa mesma força, coisa, sei lá o quê... Gosto da fé. Simples assim. Porém, eu, Ana C A, ponho minha fé em Deus. Quem me conhece, diria mais que isso, mas...
Sim, esse trecho é extremamente autobiográfico, o que foge um pouco do primeiro objetivo dessa página, na ocasião de sua criação.

Laura disse...

E eu que não creio, peço a Deus por todas as pessoas que fazem parte da minha vida e significam tanto pra mim...como você!
Palavras extremamente comoventes...
Aliás, você sempre me encanta e me comove.E sabe disso.Sente.Amo você.

Ana Claudia disse...

Laura,
Você e sua sede são chuva.


Amo você.