sábado, 17 de outubro de 2009

Três desenganados

mesa póstuma

era preciso, era extremamente necessário, imprescindível mesmo
que o troco de nosso amor corrido, prostituído em meio período
fosse o preço da consumação.


penas brancas

você pesa como 70 quilos de pena, meu amor.
essa tua bondade que me inibe o voo.


clandestino

atrás da moita tiro
meu seio pra botar na tua mão
só que meu coração vai junto.




Ana Claudia Abrantes

7 comentários:

Nilson Barcelli disse...

Estes seus três desenganados são uma delícia. Nem sei de qual gostei mais... já sei, gostei mais dos três...
Querida amiga, desejo-lhe um excelente fim de semana.
Beijos.

E. Junior disse...

eu gostei,
disso.

maria disse...

liberdade
da culpa
procurar...

Roberta Saavedra disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Roberta Saavedra disse...

você escreve lindamente e profundamente. muito bom, mesmo.

Ana Claudia disse...

E pra vocês:
Que no nosso ano haja mais encontros que desenganados!

オテモヤン disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.